Tudo as coisas ou algo assim

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Velhas Virgens - O gênio da Garrafa





Gênio da Garrafa
Velhas Virgens

Envelhecido em barris de carvalho desde o início dos tempos
Eu sou o gênio da garrafa e você tem direito a três desejos
Pode dizer o primeiro preu começar
Mas só atendo pedido de quem vira sem babar

- eu quero salvar a Amazônia, o pulmão do planeta
Papo furado, meu velho, vê se não me irrita
Tá provado que a Amazônia consome todo ar que fabrica
O máximo que eu posso fazer é te dar uma piscina cheia de cerveja
(uma piscina de breja)

Jogou um desejo fora, mas ainda tem direito a dois
Eu sou o gênio da garrafa,
Pense bem pra não se arrepender depois
Pode dizer o segundo, mas muita atenção
Eu só atendo pedido de quem tá com o copo na mão

Eu quero que todo mundo vire vegetariano
Tá louco compadre, não come carne e quer me por no jejum
Como é que a gente fica sem picanha, é desumano
O que eu posso fazer é te dar dois fígados
Pra demorar mais pra ficar bebum

Você só tem direito a mais um desejo,
Diga logo preu ir pro bar
Eu sou o gênio da garrafa e minha sede não pode esperar
Pode dizer o terceiro e não adianta insistir
Eu só atendo pedido de quem bebe até cair

Eu quero que não exista mais álcool e nem fumo
Tá louco parceiro, entrou pra religião
Sem drink e sem fumaça no mundo eu sumo
De vez em quando todo mundo precisa ficar doidão (eu quero ficar doidão)
Agora eu vou. Eu vou, pra dentro da garrafa!