Tudo as coisas ou algo assim

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Golpe de Estado - Não É Hora




Não É Hora
Golpe de Estado

NÃO É HORA

Não é hora 
Cantar vitória se o jogo nem começou 
Não é hora 
Pisar na bola com quem nunca pisou 
Não é hora 
Dessa dívida eterna que eu vou ter que pagar 
Não é hora 
De não ter por onde começar 
Agora é hora 
Ajoelhou tem que rezar 
Agora é hora 
De ir jantar sem almoçar 
Agora é hora 
Responder carta com bilhete 
de ir a pé e não de foguete 
Não é hora 
Fazer sacanagem virar romance 
Não é hora 
Abrir as pernas e ser como era antes 
Chegou a hora, chegou a hora que tinha que chegar 
E onde eu chego, onde eu chego é o mesmo lugar 
Não é hora 
Dar entrada, pra se encostar sem se sujar 
Não é hora 
Ser vagabundo no terceiro mundo