Tudo as coisas ou algo assim

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Velhas Virgens - A Boca, A Buceta e A Bunda





A Boca, A Buceta e A Bunda
Velhas Virgens

A Boca, a buceta e a bunda
Começaram uma discussão
O pinto que decidisse
Qual delas dava mais tesão.

A boca pediu a palavra
E declarou suas qualidades
Disse que era úmida e quente,
E que beijava em qualquer idade
Disse que se perdesse os dentes
Ainda assim ela serviria
Mas com sua língua amestrada
Ela nunca perderia.


A Boca, a Buceta e A Bunda
A Bunda, A Buceta e A Boca


A buceta não fez por menos
E decretou supremacia
Que de calor e umidade,
Era ela quem intendia
Que ninguém resistiria
Ao gosto do seu grelinho
E que pra completar o kit,
Ela ainda tinha o selinho.


A bunda ficou zangada
E começou a rebolar
E disse que com suas marquinhas
Ninguém ia aguentar
Disse que tinha duas bandas
E um cu apertadinho
Se a bunda é o paraíso,
O rego é o melhor caminho.


A boca ficou zangada
Deu uma cuspida de engasgar
Buceta menstruou
E ficou fora do ar
A bunda soltou um peido
Que suspendeu a respiração
Sem boca, buceta e bunda
O pinto ficou na mão.

O pinto ficou na mão 
O pinto ficou na mão
O pinto ficou na mão
O pinto ficou na mão

O pinto ficou na mão 
O pinto ficou na mão
O pinto ficou na mão
O pinto ficou na mão

A boca, a Buceta e a Bunda
E o Pinto.