Tudo as coisas ou algo assim

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Golpe de Estado - Sem Ser Vulgar





Sem Ser Vulgar
Golpe de Estado

Fica você me olhando com esse ar
De prostituta marroquina
E o chapado dos seus olhos
Me arrepia na espinha
Vamos rolar em algum carpete
Ver um lance tete a tete
Vamos ver quem chega no inferno
Sentindo o frio do inverno

Sem ser... Vulgar... Bruxa !

Se o meu sangue feiticeiro
Te pega por inteiro... te deixo nua
Você faz strip-tease
Enfeitiçada pela lua
Aí pró seu espanto, quebro o encanto
Viro a mesa
Te pego como sobremesa
E que assim seja