Tudo as coisas ou algo assim

sábado, 11 de maio de 2013

Game brasileiro 'Mr. Bree' 'pede ajuda' para entrar em loja on-line de jogos

 Jogo precisa de popularidade no Steam para entrar em fase comercial. Título está no Festival Games Brasil, que acontece a partir de sábado (18) Gustavo Petró Do G1, em São Paulo 

'Mr.Bree' é o personagem que dá nome ao game de plataforma com alto nível de dificuldade (Foto: Divulgação/Tawstudio) 
'Mr.Bree' é o personagem que dá nome ao game de plataforma com alto nível de dificuldade (Foto: Divulgação/Tawstudio) 

 Um dos maiores sonhos de qualquer desenvolvedor independente de games é conseguir colocar o seu jogo à venda - depois de, claro, passar por todo o trabalho e concluir o projeto. O estúdio brasileiro TawStudio, de Pindamonhangaba, no interior de São Paulo, está quase realizando este sonho, conseguindo comercializar seu título "Mr. Bree" na plataforma digital Steam, uma das mais populares para a venda de games. O jogo está no serviço "Greenlight" do Steam, uma espécie de "curadoria de jogos independentes" onde qualquer desenvolvedor pode colocar o seu jogo na tentativa de vendê-lo. Desse modo, o game precisa receber muitos "Curtir" de usuários do serviço para ficar entre os 50 títulos mais populares e, assim, poder ser escolhido para ser vendido na plataforma (clique aqui para acessar a página do game). Para "curtir" o jogo, o usuário não paga nada. O título também participa do Festival Games Brasil, que acontece a partir do dia 18 de maio na cidade de São Paulo, durante a Virada Cultural. "Mr. Bree" é um jogo do gênero plataforma - como "Super Mario Bros". - em que o jogador controla um porquinho que perdeu a memória e, para voltar para sua família, deve saltar por diferentes níveis, desviar de obstáculos e armadilhas, além de eliminar os inimigos. Entretanto, o nível de dificuldade do game é bem alto, o que atrai jogadores mais dedicados, chamados de "hardcore". Por conta disso, é necessário jogá-lo com um teclado ou um joystick, o que dá mais precisão aos movimentos e saltos. 
Cena de 'Mr. Bree', jogo de plataforma brasileiro que apresenta fases complexas (Foto: Divulgação/Tawstudio) 
Cena de 'Mr. Bree', jogo de plataforma brasileiro que apresenta fases complexas (Foto: Divulgação/Tawstudio) 
Segundo Lucas Jock, de 23 anos, diretor e designer de jogos do TawStudio, ao G1, a ideia é vender o título por entre R$ 15 e R$ 20 no caso de o jogo ser selecionado. A versão para web do jogo é gratuita (clique aqui para acessar). "Quando você desenvolve um jogo independente para PC, o melhor método  para vender é a distribuição digital. Não podemos pagar para uma distribuidora fazer as cópias físicas. Na distribuição digital é mais simples, basta colocar o game para vender e o comprador baixa uma cópia". Jock afirma que "Mr. Bree" está com 30% dos votos necessários para figurar entre o "Top 50" do "Greenlight". Alcançando 100% da meta, aí o jogo entra no 50º lugar e tem chances de ser um dos escolhidos para entrar em fase comercial no Steam. "Nossa ideia é, se o jogo der certo, é lançar versões para PlayStation 3, Xbox 360 e Ouya", diz o designer. 
'Mr. Bree' tem um porquinho como herói que deve vencer os obstáculos das fases (Foto: Divulgação/Tawstudio) 
'Mr. Bree' tem um porquinho como herói que deve vencer os obstáculos das fases (Foto: Divulgação/Tawstudio) Criação independente "
O nome surgiu quando nosso programador estava fazendo um protótipo do jogo ouvindo músicas do estilo 'deathcore', bem pesadas, que têm grunhido de porco como som. A onomatopeia deste ruído se chama 'bree', e daí veio a ideia de dar nome ao game", conta Jock. Por conta da exigência da precisão, não há previsão de lançamento para smartphones e tablets. O TawStudio foi montado na metade de 2009 após Jock e Marcelo Pinto, de 28 anos, que trabalha como artista da empresa, terem feito um curso de desenvolvimento de jogos. "Decidimos que iríamos trabalhar com isso. Chamamos mais amigos e fundamos o estúdio. Entre outros trabalhos estão 'Jelly Escape' e uma versão de 'Mr. Bree' para a web". Hoje, a equipe conta com a dupla e Gabriel Alves (artista), Gregório de Abreu (programador) e Matheus Faroni (compositor). 
Da esquerda para a direita: Matheus Faroni, Gregório de Abreu, Marcelo Pinto e Lucas Jock, do Tawstudio, criadores de 'Mr. Bree' (Foto: Divulgação/Tawstudio) 
Da esquerda para a direita: Matheus Faroni, Gregório de Abreu, Marcelo Pinto e Lucas Jock, do Tawstudio, criadores de 'Mr. Bree' (Foto: Divulgação/Tawstudio) 
 Jock conta que para criar um jogo do gênero plataforma com um nível de dificuldade mais alto, muitos testes são feitos. "Como eu crio as fases, vou testando armadilhas e outros elementos e vejo se funciona ou não, se está muito difícil, se o jogador consegue passar". Ele diz que o jogo está sendo balanceado constantemente, principalmente por conta do retorno dos fãs. Agora, resta torcer para o game alcançar a meta e "Mr. Bree" começar a ser vendido. O jogo tem previsão de ficar pronto em agosto.